Maracatu misturado ao rock, hip hop e eletrônico na arte. Chapéu, óculos, roupas coloridas e sorriso largo na aparência física. Não é preciso ter conhecido Chico Science para dizer que ele transmitia uma vibração positiva – digna mesmo de alguém que costumava cantar que “segunda é um dia lindo”. Pois, mais do que um indivíduo “simples, espirituoso, pé no chão e camarada”, como descrevem os que eram mais próximos a ele, este foi um dos maiores nomes da música brasileira durante os anos 90. Chico pode ter deixado seus fãs em 1997, devido a um acidente de carro, mas seu trabalho permaneceu, de forma a não só inspirar outros artistas, como dar origem a uma grande exposição sobre sua vida, pela primeira vez, em São Paulo. O Itaú Cultural hospeda a partir desta quinta, 4, a Ocupação Chico Science, que abordará a trajetória do músico, contextualizando-a na realidade cultural e social de Recife, na última década do século XX.

A réplica do Landau do cantor abre a exposição

Um dos principais objetivos do projeto organizado pelos núcleos de Música e de Comunicação do instituto foi o de focar no universo criativo no qual o cantor estava submetido, envolvendo das artes plásticas às referências musicais de Science. No ambiente, o grafite em uma das paredes, arte tão característica do universo urbano, aborda uma representação do mangue, junto às antenas comumente citadas na poética do cantor (conectando “as boas vibrações dos mangues com a rede mundial de circulação de conceitos pop”, como está escrito no manifesto Caranguejos com Cérebro). Os desenhos de chips no chão do local fazem alusão à tecnologia também sempre abordada por Science. Fotos pessoais, vestimentas, cadernos de anotações, óculos, cartazes de shows importantes na carreira de Chico Science e Nação Zumbi e credenciais de apresentações são alguns dos itens que integram a mostra, aproximando o público de materiais pessoais do cantor e dos momentos marcantes de sua vida.

A HQ feita pela dupla Dolores e Morales para o encarte do álbum Da Lama ao Caos

O evento também conta com uma programação paralela de debates e filmes – tudo relacionado à cena Mangue. Obras como Baile Perfumado (1997), de Paulo Caldas e Lírio Ferreira, Texas Hotel (1999) e Amarelo Manga (2003), de Cláudio Assis, e Josué de Castro – Cidadão do Mundo (1995), de Silvio Tendler, serão exibidas. Os debates ficarão a cargo de nomes que presenciaram o movimento, como Carlos Eduardo Miranda, Fred Zero Quatro, Paulo André, e outros, também com personalidades e jornalistas internacionais. Além disso, todo o material de arquivo da exposição foi digitalizado e agrupado no site oficial da mostra, e permanecerá na rede mesmo após o termino do evento.

As anotações de Chico Science

+Informações:
Exposição: “Ocupação Chico Science”
Data: de 4 de fevereiro a 4 de abril
Quando: de terça a sexta, das 10h às 21h; Sábs., doms. e feriados, das 10h às 19h (entrada franca em todos os dias)
Local: Itaú Cultural – Av. Paulista, 149 – Paraíso – São Paulo
Site: Ocupação Chico Science
Contato: 11 2168 1711
Horário: das 10h às 21h
Fonte: Zupi – Design, Ilustração, Moda e Arte 

Visite nossa loja virtual www.recriartequadrosedecoracao.com.br e também nosso site www.recriararte.com.br/imprensa_arte.

Anúncios